A crise brasileira é real?



Não são poucas as notícias sobre o Brasil estar em sua "pior crise já registrada após um boom econômico", e de alguma maneira isso me parece mentira. Não é porque eu não estou vendo o desemprego gigantesco, as empresas fechando, etc, etc. É porque eu acredito que o Brasil não teve um "boom econômico" sustentável. Vou tentar explicar, baseado na minha experiência de vida e na minha parca noção de economia (que por sinal, não é ciência natural, é "ciência humana", então praticamente não tem certo e errado) sobre o que aconteceu, o que eu acho que vai acontecer, e o que poderiamos fazer pra mudar isso. Sim, é tudo suposição, achismo, como todo bom texto de economia ;D.


O pai da marolinha veio tirar satisfação


Quando os Estados Unidos passam por crise, o mundo passa por crise. Mas isso não afetou muito o Brasil em 2008-2010. Duas razões podem ser mencionadas como causadoras: a ampliação dos programas sociais que gerou um mercado consumidor artificial financiado pelo estado (e que contribui anualmente com uma parcela da nossa inflação) e alta das Commodities, como todo mundo já cansou de ouvir. O que o cidadão comum não percebeu foi o maior problema de 2008: o motivo. Não foi super-produção, não foi algo imprevisível, não foi uma """auto-regulação""" do mercado: foi incompetência. Sabe o que significa pra maior potência do mundo, detentora das melhores universidades do mundo, maior e mais avançado exército do mundo, falar "então... a gente fez besteira"? É uma combinação de desculpa esfarrapada com caos generalizado e medo de outras economias fazerem o mesmo. Na fuga de capital de investidores estrangeiros e falta de opções até o Brasil, com toda sua precariedade, pareceu atraente.

Mas gringo não resolve problema na base de licitação e no superfaturamento como aqui na República da Banana. Logo após a crise o mercado americano se reestruturou e correu atrás do prejuízo. A mão de obra americana, a política tributária, e a própria postura empreendedora dos americanos que faz parte da sua cultura foram fatores decisivos na recuperação. Vejamos abaixo um gráfico do número de pessoas empregadas nos Estados Unidos:



Outro gráfico importante é a variação do PIB como porcentagem. Reparem como em 2010 as coisas já estavam bem encaminhadas:




Atualmente, vemos notícias como o aumento da taxa de juros nos Estados Unidos , o rebaixamento da nota de crédito do Brasil e a diminuição dos juros no Brasil fazendo os investidores migrarem de país, uma vez que ninguém em sã consciência optaria por emprestar dinheiro pra alguém que pode não te pagar por uma diferença de juros mínima. Assim, todo o crédito que antes o Brasil tinha disponível e que talvez pudesse ter usado pra alguma coisa útil agora já voltou pra outras nações mais sérias. Essa oportunidade já foi, mas reparem que isso não é "crise". Foi tipo um dinheiro que achamos na rua, mas que preferimos torrar em pinga ao invés de usar pra consertar o telhado de casa que estava com goteira.


Crise X Realidade 


Quem estava no mercado de trabalho em 2009-2010 em São Paulo deve lembrar como ninguém era de ninguém numa orgia corporativa de salários de 4 dígitos. Pessoas pouco qualificadas sendo promovidas as pressas simplesmente por não terem profissionais para preencherem as novas demandas. Lembram que faltava engenheiros? Vocês realmente achavam que isso ia durar muito? Lembram dos sites mostrando imóveis em Milão e Madrid sendo vendidos por muito menos que no Rio de Janeiro?

Nem devia falar de Espanha e Itália porque são países atrasados pro padrão europeu. Mas até mesmo nesses países que são praticamente a rabeta européia o nível educacional da mão de obra humilha o brasileiro. Usando dados do site PISA (http://www.compareyourcountry.org/pisa/) que faz testes nos estudantes de ensino médio afim de verificar o nível de cada país, podemos comparar Itália e Espanha com Brasil. Os resultados são assustadores.




Estes resultados comparam a média dos 2 países. Você pode estar pensando "bom, o Brasil tem 200 milhões de pessoas, Italia e Espanha tem 60 e 46 milhões cada, é mais fácil educar menos crianças, ainda mais sendo países mais ricos, mas aposto que se pegar os tops brasileiros a gente humilha né? É tipo a China, no meio de todo aquela gente deve nascer uns super gênios e daí a gente leva vantagem!". Achou errado meu amigo.





O ponto importante de colocar esses dados sobre educação é que são essas pessoas que vão formar o mercado de trabalho em alguns anos. E o Brasil não mostra melhoras. Se observarmos os resultados brasileiros, é possível até vermos uma piora em matemática. Mas pra que isso importa? Bom, por mais que alguns pedagogos e psicólogos reclamem, eu acredito que seu desempenho escolar está diretamente relacionado com seu desempenho no trabalho. Seu desempenho escolar vai ditar, por exemplo, em qual faculdade você entra. E é graças a isso que chegamos a números como o de o trabalhador americano ter a mesma produtividade que quatro brasileiros. E isso torna o país nada atrativo para ter qualquer empresa. Você mesmo, brasileiro, se pudesse escolher um país pra abrir sua empresa, escolheria o Brasil?

Por isso acredito que essa "crise" que estamos vivendo nada mais é que um ajuste para a realidade. É o Brasil voltando para o mundo real. Não existe mais lugar no mundo para o funcionalismo público que se pratica aqui. Não existe mais lugar no mundo pra política que se pratica aqui. Não tem como cortar bolsa de doutorandos e mestrandos de cursos de STEM (ciencia, tecnologia, engenharia e matemática) que somam centenas de milhares de reais por ano, enquanto se sustenta coronéis no nordeste com repasses da união federal na casa dos bilhões. É por esses motivos que eu realmente não creio que a "crise" que vivemos seja uma crise. E por isso, não vai haver recuperação. Só vamos voltar ao nosso crescimento humilde, tortuoso, puxado pelo agronegócio, arrastados pelo crescimento da China, e sonhar com o dia que uma nação de cultura superior a portuguesa tiver necessidade de invadir nosso território para estabelecer residência (vai ser indolor, nosso exército vai se render nos primeiros minutos de combate) e finalmente nos deixar aproveitar todos os recursos que essa terra oferece de maneira digna.


Nenhum comentário:

Postar um comentário