Falta romantismo atualmente


Novela "O Cravo e a Rosa"
Desde que a "formadora de opinião" rede Globo resolveu resgatar os bons costumes e valores românticos da pouco documentada e analfabeta sociedade brasileira de 1920-1930, multidões de brasileiras ficam se lamentando por terem nascido na época errada, um tempo sem valores e de pura busca por prazeres carnais. O mais fascinante dessas novelas é que a realidade que elas mostram se torna a verdadeira. Ninguém se dá ao trabalho de verificar como as coisas eram: se na novela mostra assim, é porque obviamente foi assim.

Vamos ver uns pontos interessantes das leis desse período (disponíveis no site do senado), que ao meu ver é um documento que retrata o que era considerado aceito moralmente pra época, começando com a anedota do nome do país - "Estados Unidos do Brazil" - uma clara imitação imitação dos Estados Unidos, mas com leis feitas por um general sem muito estudo:

Art. 268. Estuprar mulher virgem ou não, mas honesta:Pena – de prisão cellular por um a seis annos.§ 1º Si a estuprada for mulher publica ou prostituta:Pena – de prisão cellular por seis mezes a dous annos.

Pois é minha amiga, se você não cuidasse bem das suas amizades ou se fizesse inimizade com alguém influente na "alta sociedade", você poderia ser incluída na lista das "mulheres públicas" e ser tratada como lixo pela lei. Já penso que romântico? Foi estuprada, e seu estuprador pega uma pena menor porque você é considerada umazinha qualquer...

Art. 279. A mulher casada que commetter adulterio será punida com a pena de prisão cellular por um a tres annos.§ 1º Em igual pena incorrerá:1º O marido que tiver concubina teuda e manteuda;

Se o maridão tiver uma amante fixa, você tem todo o direito de botar o canalha na prisão de 1 a 3 anos. Mas se ele for apenas um frequentador das casas de tolerância (vulgo: prostíbulos)... Bom, ele é homem afinal de contas! Tem suas necessidades! E desde que bote comida na mesa de casa...

Você, esposa, por outro lado, se for pega na cama com outro, mesmo que seja na primeira vez... Cana!
Paragrapho unico . O perdão de qualquer dos conjuges, ou sua reconciliação, extingue todos os effeitos da accusação e condemnação.

Essa é uma questão difícil pra mulher: se separar e nunca mais ter renda (pois mulheres na época não trabalhavam), ou fingir que não liga pra traição?

Nessa época também devia ser muito difícil alguém difundir este tipo de questionamento com relação à legislação:

Art. 22. Nos crimes de abuso da liberdade de communicação do pensamento são solidariamente responsaveis:a) o autor;b) o dono da typographia, lithographia, ou jornal;c) o editor.§ 1º Si a typographia, lithographia, ou jornal pertencer a entidade collectiva, sociedade ou companhia, os gerentes ou administradores serão solidariamente responsaveis para todos os effeitos legaes.§ 2º Serão tambem responsaveis:a) o vendedor ou distribuidor de impressos ou gravuras, quando não constar quem é o dono da typographia, lithographia, ou jornal, ou for residente em paiz estrangeiro;b) o vendedor ou distribuidor de escriptos não impressos, comunicados a mais de 15 pessoas, si não provar quem é o autor, ou que a venda ou distribuição se fez com o consentimento deste.
Art. 23. Nestes crimes não se dá cumplicidade, e a acção criminal respectiva poderá ser intentada contra qualquer dos responsaveis solidarios, a arbitrio do queixoso.§ 1º Quando a condemnação recahir no dono da typographia, lithographia ou jornal, ser-lhe-ha applicadas sómente a pena pecuniaria elevada ao dobro.

Cena de "Chocolate com pimenta"
Vale lembrar também de outros pontos muitos importantes dessa época nos quais muitas mulheres nem pensam, deslumbradas pelo "charme" dos "modelitos" das atrizes na TV:
  • Mulheres só começaram a votar em 1932 ("apenas" 39 anos depois da Nova Zelândia, primeiro país a garantir o sufrágio feminino)
  • Mulheres não tinham direitos significativos no trabalho: licença maternidade, tempo para amamentar bebês, salário igual ao de homens, garantia de emprego (visto que a mulher que engravidasse poderia ser facilmente substituida por um homem) só foram conquistados também em 1932
Pessoalmente, acho que a falta desse romantismo "inocente" é só uma consequência do amadurecimento da sociedade brasileira com relação àqueles tempos. Não que para ser maduro seja necessário deixar de ser romântico, mas para brigar por direitos e lutar contra a exploração é preciso deixar de ser inocente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário