Pesca amadora

Esse texto é basicamente um resumo de um amador sobre como aprender a antiga arte da pesca. Caso você tenha alguma dica que eu não mencionei, por favor coloque nos comentários!

Se você é fã de peixe, já tem motivos suficientes pra ter uma história além da comida (infelizmente, pescar seu peixe não e mais barato que comprar, pelo menos não pra um amador), mas se não gosta, a experiência de ir pescar com amigos pode valer muito a pena. Pescar, assim como caçar e acampar, é uma atividade que cria vínculos entre as pessoas (algo meio primitivo não?), por isso é uma idéia excelente de lazer entre pais e filhos.

Pampo, um dos primeiros que peguei!
A primeira coisa que aprendi nas minhas tentativas de pesca é que pegar o peixe não deve ser a coisa mais importante, senão a chance de ficar frustrado é alta. O mais importante é ficar em contato com a natureza, pensando na vida, relaxando. O peixe é um bônus. Parece muito monótono, e eu não vou dizer que não é algumas vezes, mas esse tempo que você tira pra organizar suas idéias é muito importante pra relaxar. Pescar é quase um momento de meditação, um tempo pra ouvir o barulho da água, sentir o vento batendo no rosto e não pensar em nada.


Equipamento

O que você vai comprar depende de onde vai pescar. Pesca em rio pode ser feita com varas simples sem molinete, mas para rios mais largos e para a pesca no mar é aconselhável usar molinete ou carretilha. A diferença entre molinete e carretilha é a posição do tambor e o modo de travar a linha. São necessários também obviamente a vara de pesca, anzóis e linha.

Carretilha: o tambor fica perpendicular à vara, a trava é solta por um botão. Fonte: Blog Tralha e Pesca

Molinete: o tambor fica paralelo à vara de pesca, e a linha é solta levantando a trava manualmente. Fonte: Revista Pesca e Cia
Depois de testar as duas opções, acabei preferindo o molinete para pescar na praia. Cada um tem as suas vantagens e desvantagens: o molinete te permite fazer arremessos mais longos, com menor precisão e é mais difícil de dar nó na linha; enquanto a carretilha permite controlar melhor a hora de frear a isca no ar depois de arremessada, mas o alcance é menor e é muito mais fácil de acabar com o tambor todo enroscado (já aconteceu comigo).

Nó na carretilha: ah, o horror!! Fonte: Blog Loucos por Pesca
A linha de pesca e o anzol são comprados de acordo com o tamanho do peixe que você pretende pegar.

A medida internacional para a carga na linha de pesca é em libras (lbs), e para saber o equivalente em quilos basta multiplicar o valor por 0.45. Assim, uma linha de 40lbs aguenta o equivalente a aproximadamente 18Kg. Atualmente existem duas opções de linha: as monofilamento e multifilamento. A monofilamento é a mais comum: transparente, mais barata, porém menos resistente que a multifilamento.

Linha multifilamento
Linha monofilamento

A escolha da vara depende do local de pesca, mas a vara "genérica" que não vai te deixar na mão tem entre 2 e 3 metros e é mais rígida. Para pescar na praia, uma vara maior torna mais fácil o arremesso a longa distância, e para rios ou pesca embarcada a vara pode ser menor, principalmente se for utilizar a isca artificial.

O tamanho do anzol está ligado ao tamanho do peixe que você está pescando. Comecei a usar uma linha mais grossa recentemente (80lbs), e por isso quando a isca fica presa em alguma pedra o anzol entorta (antigamente a linha estourava). Por isso é bom ter um alicate no bolso, que serve pra desentortar o anzol e também pra tirar o anzol da boca de alguns peixes com dentes afiados. O nó utilizado também faz muita diferença: a linha de pesca normalmente não é muito aderente, por isso pode acontecer da linha deslizar e desfazer o nó.

Tipos de nós.

Iscas

Meu limitado conhecimento se reduz a três modos de pescar. O primeiro se chama "pesca de fundo" e consiste em colocar um peso na ponta da linha (chamado de "chumbada", pois normalmente se utiliza um pedaço de chumbo) e o anzol fica um pouco mais acima do peso. Ao arremessar a isca, ela fica próxima ao fundo da água, afundada pelo chumbo, e permanece parada até fisgar um peixe.

Esquema de anzois e chumbo na pesca de fundo.  Fonte: Pesca-pt.com
Esse é o tipo de pesca mais comum, e no caso da pesca de praia podem ser usadas tatuiras, corruptos, camarões, mariscos, siris e filets de outros peixes como sardinhas para a isca. As tatuiras e os corruptos podem ser capturados na praia. Para os corruptos, é necessária uma rede que é colocada na areia da praia no momento que a onda recua. Não é toda praia que possui tatuiras, inclusive a presença da tatuira é um sinal de boa qualidade da praia. As tatuiras são mais comuns em praias de areia grossa.

Corrupto

Tatuira
Para a captura do corrupto é necessário material específico: uma bomba de sucção feita de cano PVC. É possível observar a presença dos corruptos pois eles formam buracos na beira da praia de onde brota água. É praticamente impossível retirar os corruptos sem o uso dessas bombas. Algumas cidades possuem leis que proíbem a captura de corruptos em suas praias, por isso é importante fazer a verificação.

Se optar por camarão ou sardinha, é possível comprar de peixarias "populares", ou seja, abastecidas por pescadores autônomos. Avise que quer comprar isca pra levar peixe de pior qualidade e pagar bem mais barato.

Elastricot
Bomba para captura de corrupto

A fixação da isca orgânica no anzol é feita utilizando a linha elastica (elastricot). Esse é outro item que sempre deve estar no bolso do pescador, junto com uma faca e uma lanterna. Segue um vídeo que mostra como colocar o camarão no anzol usando um iscador (o normal é usar apenas as mãos):



O segundo tipo de pesca se chama "pesca de corrico", e consiste em prender uma isca artificial que imita um peixe vivo na ponta da linha, e simular seu movimento com puxadas na vara. De novo: uma prova que os peixes definitivamente não são muito espertos.

Iscas artificiais para a pesca de corrico
O vídeo abaixo é uma propaganda de isca artificial, mas serve pra imostrar o que acontece embaixo da água:



O último tipo de pesca utiliza bóias com iluminação para pesca noturna. Normalmente são utilizadas para a pesca de peixe espada. Ao invés do anzol simples, é utilizada a garatéia. O tipo de peixe alvo geralmente é maior, por isso como isca são usadas sardinhas inteiras.

Bóia luminosa e anzóis
Garateia






Lugares


Depois de ter arrumado todas as suas tralhas já sabendo em que tipo de local pretende pescar, é hora de escolher o local exato.

Essa parte pode ser a mais perigosa, mas é uma das mais gratificantes: se escolher um lugar de fácil acesso e conhecido, as chances do lugar estar lotado de outros pescadores e sem peixes é alta. Para conseguir bons peixes provavelmente você terá que procurar um lugar isolado, de acesso mais trabalhoso, e pouco conhecido. Assim, além da pesca, seu passeio ainda tem uma parte de caminhada em trilhas, o que adiciona uma faca, lanterna e corda pro seu equipamento necessário. Uma sugestão é levar material de camping (barracas e mantimentos) e virar a noite pescando. Carvão e bambu garantem um churrasco em grupo ao ar livre.

Um exemplo de lugar de acesso um pouco trabalhoso é a praia das Taquaras, perto de Balneário Camboriu. Na foto, os lugares que costumo ficar ficam próximos às pedras.

Praia das Taquaras: normalmente imprópria pra banho pelo mar violento, mas excelente pra pesca.
Outra dica é procurar por siris e mariscos no local escolhido: se preparados assim que recolhidos têm um sabor bem diferente dos encontrados em restaurantes e supermercados.

Mariscos colhidos numa praia próxima.

Hora certa

O ultimo detalhe antes de partir pra pesca é saber a hora certa de sair de casa. No caso da pesca na praia ou costão, o mar deve estar calmo, a praia não deve ter ventos fortes, e de preferência a maré deve estar alta. A altura das ondas e a tábua das marés podem ser encontrados em sites de previsão de tempo, como o climatempo por exemplo.


Imagens da tábua das marés e altura das ondas. Fonte:  Climatempo.
Esse é o básico da pesca amadora. Com o tempo, você acaba descobrindo macetes e truques pro lugar que frequenta, como identificar os dias bons, a melhor isca, os melhores pontos pra jogar a isca, etc. Quem quiser pode mandar fotos dos peixes que já pegou com a data e o local que eu adiciono aqui no final do texto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário