Opinião do livro: Memórias de Sherlock Holmes



Titulo: Memórias de Sherlock Holmes
Autor: Sir Arthur Conan Doyle
Ano: 1894
Páginas: 279
Editora: E-book

Nota (0-10): 9

Este é o primeiro eBook que termino pelo Kindle (tenho vários outros títulos parados pela metade), e a melhor parte é que este livro foi baixado de graça na Kindle Store.

Sherlock Holmes, como clássico da literatura, não deixa nada a desejar. É uma leitura relaxante, e que ao mesmo tempo treina a capacidade de análise lógica do leitor conforme este acompanha os passos das deduções do personagem (se bem que muitas vezes achei que a lógica acabou se perdendo por estar baseada em premissas meio absurdas). 

O vocabulário dos contos mostrou como o dicionário do Kindle é útil: não foram as poucas as vezes que precisei parar a leitura pra consultar um ou outro termo que não era possível estimar pelo contexto, como oblige e dwelling.

Este livro possui 11 contos independentes (ao contrário de outros livros da série que possuem uma única narrativa):

  1. O Estrela de Prata (Silver Blaze)
  2. A Face Amarela (The Yellow Face)
  3. O Escriturário da Corretagem (The Adventure of the Stockbroker's Clerk)
  4. A Tragédia do Gloria Scott (The "Gloria Scott")
  5. O Ritual Musgrave (The Musgrave Ritual)
  6. O Enigma de Reigate (The Reigate Puzzle)
  7. O Corcunda (The Crooked Man)
  8. O Paciente Internado (The Resident Patient)
  9. O Intérprete Grego (The Greek Interpreter)
  10. O Tratado Naval (The Naval Treaty)
  11. O Problema Final (The Final Problem)

Imagem do detetive Sherlock Holmes
Algo que me chamou a atenção foi a criatividade do autor (Doyle) e a própria capacidade analítica que ele devia ter para poder criar seu personagem. Em minha ignorância literária, questiono se o tempo gasto para ler "Macunaima" ou "Ubirajara" não seriam melhor empenhado lendo um dos livros da série...

A influência da obra de Arthur C. Doyle ainda pode ser vista hoje em diversos lugares: li em algum lugar que o personagem House da série de TV foi baseado em Sherlock, e depois de ler esse livro realmente existe um certa semelhança em como eles empregam a lógica e o método científico para atingirem seus objetivos (embora o primeiro use drogas exageradamente). Na série Star Trek: The Next Generation existem vários capítulos em que aventuras dos livros são vividas pela tripulação da Enterprise na sala de hologramas.

Cito a seguir alguns trechos que achei mais interessantes do livro.
"A dificuldade está em separar o quadro da fato - do absoluto e inegavel fato - do embelezamento dos teóricos e reporteres. Então, tendo nos estabelecido sob esta base sólida, é nosso dever ver quais inferências podem ser esboçadas e quais são os pontos especiais ao redor dos quais todo o mistério gira" (Interessante a chamada para contar com exagero na mídia).

"Qualquer verdade é melhor que dúvida indefinida" (Um apelo à razão).

"'Elementar', disse ele. 'É uma dessas instâncias na qual aquele que raciocina pode produzir um efeito que parece surpreendente para seu vizinho, pois o último perdeu um pequeno ponto que é a base da dedução'" (A importância dos detalhes).

"Tendo juntando estes fatos, Watson, eu fumei diversos cachimbos sob eles, tentando separar aqueles que são cruciais daqueles que são meramente acidentais" (O que será que tinha nesse cachimbo? =D)

"Para o lógico todas as coisas devem ser vistas exatamente como são, e subestimar a si próprio é um distanciamento da verdade tanto quanto exagerar seu próprio poder" (Ser realista, nem humilde, nem exagerado).

"'Você vê alguma pista?''Você me forneceu sete, mas é claro, eu devo testá-las antes de pronunciar seus conteúdos''Você suspeita de alguém?''Eu suspeito de mim mesmo.''O que??''De chegar a uma conclusão precipitada`" (Holmes mandando um "Bazinga!")

"'As escolas.''Faróis, meu garoto! Sinalizadores do futuro! Capsulas com centenas de pequenas sementes brilhantes cada, das quais florescerá a sábia, melhor Inglaterra do futuro.'" (Menção à educação e sua importância. O livro é de pouco antes de 1900.)

"'A principal dificuldade do seu caso,' observou Holmes, à sua maneira didática,'está no fato de existir evidências demais. O que era vital foi soterrado e escondido pelo que era irrelevante. De todos os outros fatos apresentados para nós tivemos que selecionar apenas aqueles que julgamos essenciais, e então agrupá-los em sua ordem'" (Observação que informação demais, assim como de menos, pode atrapalhar).

"Mas o homem possuía tendências hereditarias do tipo mais diabolico. Uma tensão criminosa corria em seu sangue, que ao invés de ser modificada, foi aumentada e se tornou infinitamente mais perigosa por seus extraordinarios poderes mentais" ( O livro é de uma época em que se acreditava que criminalidade estaria ligada à genética).

Nenhum comentário:

Postar um comentário