Professores que não sabem o que ensinam


Recentemente li um texto preocupante sobre o ensino nos States (artigo em inglês). Aparentemente os professores de biologia têm ensinado teoria da evolução das espécies de maneira errada, em parte por ir contra suas crenças...


De 926 colégios que participaram da pesquisa, apenas 28% dos professores adotavam a prática recomendada pelo Conselho Nacional de Pesquisa, utilizando evidências que a evolução realmente aconteceu. Outros 13% ensinam o criacionismo como "teoria correta", afirmando que tanto criacionismo como teoria da evolução são crenças que não podem ser provadas como verdadeiras ou falsas.

Os quase 60% restante mantêm uma posição neutra, evitando se envolver em conflitos. Estes adotam três abordagens diferentes:

1- Afirmam que as idéias presentes na teoria da evolução se aplicam apenas à biologia molecular e não a todos os seres vivos do planeta.


2- Pedem aos alunos que se preocupem apenas em passar nas provas, independente se acreditam ou não no que estão ouvindo.


3- Promovem debates entre criacionistas e evolucionistas, de maneira que cada individuo opte pela explicação que mais lhe agrada para a origem da vida.


O terceiro método é muito ruim pois dá a entender ao aluno que é possível debater uma teoria científica muito bem estabelecida do mesmo modo que se debate gosto pessoal. O segundo método pode ser um dos principais responsáveis pelo núnero tão elevado de analfabetos científicos...

O que causa muita insegurança é imaginar que essa pesquisa tão útil foi feita nos Estados Unidos, que possui um sistema de ensino público melhor que o brasileiro, e bem menos influência religiosa no cotidiano. Imaginem só como é a realidade por aqui...

Nenhum comentário:

Postar um comentário