Motoristas de ônibus e políticos

Política no Brasil é motivo de piada, especialmente porque brasileiro é otimista. Tentar entender porque as coisas são do jeito que são não é tarefa fácil... Nossas leis não funcionam, ora por parte da execução (propina, vista grossa, etc), ora por parte da legislação - é melhor matar propositalmente do que sem querer no trânsito.

Mas depois de um tempo gasto em uma sociedade que "funciona", cheguei a conclusão que cada povo tem o que merece. Dificil imaginar que o trabalhador assaltado merece isso, que a classe média merece sustentar as classes mais baixas, que o Tiririca foi eleito porque mereceu. Mas pra mim todas essas "injustiças" da vida são uma prova que existe justiça de verdade.

Qual a imagem que o brasileiro tem de si? Sensual e católico, malandro e honesto, feliz e sofredor, justo e injustiçado. Brasileiro é tudo, mas também não é nada. Pelo meu pouco conhecimento do mundo, quem diz ter duas características opostas na verdade não tem nenhuma. Reparem que isso é uma opinião de alguém assumidamente sem muita base pra opinião. A vida não fica muito mais fácil quando não se toma nenhuma posição?


Recentemente percebi como um típico brasileiro, pobre mas limpinho, com muita experiência na escola da vida, lida com uma situação de poder, mesmo que pouco. Quem usa ônibus sabe como o serviço é pouco confiável. Ônibus não tem horário pra passar no ponto, se passar, em primeiro lugar. Assim, quem depende de ônibus pra trabalhar, tenta pegar o primeiro a passar, e torce pra não vir cheio ou pra não adiantar e passar antes da pessoa chegar no ponto.

    

É proibido que o ônibus pare fora do ponto para embarque de passageiros, mas de vez em quando isso acontece, a critério do motorista. Ele toma essa decisão. Essa parada fora do ponto para embarque pode ser a diferença entre encarar o chefe pontualmente com canto trolololo, ou passar olhando pro chão com um sorriso de tavaziii...

Qual a regra pra parar fora do ponto? O que se observa é que para uma passageira jovem e arrumada, em 99% das vezes a quebrada de galho funciona. Se é um passageiro com cara de humilde, de modo que o motorista sinta a necessidade do cidadão de utilizar o transporte, já cai pra uns 60%. Se for um homem bem vestido, do tipo que pode pagar um taxi, já cai pra uns 15% seguido de cara feia. A única vez que o motorista facilita a vida do pedestre em 100% das vezes é quando é um conhecido, amigo ou parente. Aí nem pagar a tarifa precisa, o Estado ou a empresa de transporte se encarrega disso. Será que mais alguém vê alguma semelhança de comportamento com nossos políticos? Obs: dificilmente o motorista vai ser punido por parar fora do ponto...

    

Posted via email

Nenhum comentário:

Postar um comentário