Baixos salários de programadores

a maior parte do software sendo escrito no planeta, hoje, é irrelevante, como as dezenas de milhares [só?...] de “folhas de pagamento” sendo contínua e concorrentemente desenvolvidas e em evolução no brasil [só pra falar daqui]. este software “commodity” e completamente desnecessário [em seu estado atual] tende [e pode] a ser desenvolvido por competências muito abaixo do que um graduado em computação tem ou deveria ter.

na verdade, tal tipo de software -de especificações triviais- pode ser escrito por técnicos, que seriam remunerados como tal; como não há [por incompetência do setor educacional] técnicos em software, isso é feito por graduados que recebem a remuneração de… técnicos.

se a pessoa é mesmo formada em ciência da computação, engenharia da computação ou engenharia de software [ou em especialidades como "game design" e outras] não é o caso que esteja ganhando uma miséria, muito pelo contrário. a demanda é alta e os salários idem, e mundialmente.

agora, se só se tem o “diploma” de computação e só se sabe “programar sistemas triviais”… prepare-se: você é commodity e será tratado e remunerado como tal.

a discussão ao redor do post original é longa e variada. se você achar que vale a pena, vá ver.

mas há mais: camilo telles me contou de outra conversa, na forbes, sobre os “baixos” salários pagos aos programadores que desenvolvem algoritmos e sistemas para high frequency trading [HFT].  isso está por aí há quase 50 anos mas agora pode tomar conta, de vez, dos mercados de capital: estima-se que 60% do mercado de futuros, nos EUA, já esteja sendo negociado por algoritmos de HFT e não por “traders” humanos. como dissemos no texto sobre software, se você não estiver escrevendo software, é porque vai estar virando software.

Posted via email

Nenhum comentário:

Postar um comentário