Piada de português

RIO - A prisão de um português pela Polícia Federal do Rio, na segunda-feira, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, lembra uma anedota antiga: o agente federal ao ver um português conhecido embarcando no aeroporto, pergunta: E aí Joaquim, tudo joia? O português responde: Não, metade é cocaína. E foi quase assim, na opinião dos federais. Depois de sete dias hospedado num hotel cinco estrelas no bairro do Vidigal e com passagem marcada para Lisboa num voo da TAP, para a noite da última segunda-feira, o português Helder Pedro Santos Lopes, de 30 anos, deixou perplexos os federais. Numa tentativa inusitada, ele foi preso quando embarcava com um revólver usado em crimes e a mala cheia de cocaína.

A arma, um Rossi calibre 38, estava encoberta com papel carbono, mas foi descoberta com facilidade ao passar pelo raio-X, juntamente com os 20 quilos de pasta base de cocaína. Helder foi preso em flagrante por tráfico de droga e posse ilegal de arma. Detalhe: em Portugal, armas desse tipo são obtidas com facilidade.

- Foi tão estranho, tão surpreendente para nós, que estamos investigando com profundidade o caso. Passar com cocaína já é quase impossível com a atual estrutura do aeroporto, mas armado é muita burrice - afirmou o delegado federal Alcyr Vidal, chefe da Delegacia da PF no Aeroporto Tom Jobim (Dain).

Posted via web

Nenhum comentário:

Postar um comentário