Sacos plásticos - parte 2

Há algum tempo escrevi aqui sobre o problema do Brasil de usar sacos plásticos pra tudo, em todo lugar, e sobre como essa praga acumula nas nossas casas. Outro dia, ao cozinhar, tive a ideia brilhante de como usar os sacos plásticos de um jeito nada ecologico, mas que aumenta um pouco seu conforto em casa.

Normalmente separo meu lixo em 2 latas: uma pra lixo orgânico (resto de comida, tetra-paks, embalagens sujas, baratas mortas, hihi) e outra pro resto (papéis, plásticos limpos, etc). Porém, em casas com poucas pessoas em que a maioria fica fora de casa grande parte do dia, ocorre um problema: a quantidade diária produzida as vezes é muito pequena (o que impede de jogar um saco de 30 litros quase vazio para não desperdiçar), e não é todo dia que se come em casa. Assim, se você joga algo orgânico fora na segunda-feira, é muito provavel que até sexta a lata ainda não esteja cheia, e seu lixo ainda esteja lá, apodrecendo. Isso causa mau cheiro, pode atrair insetos, e as vezes até doenças.

A solução para isso não é muito ecológica, mas se pensar no todo, talvez o impacto seja igual jogar o saco de lixo vazio: utilizar os sacos de supermercado pra embalar o lixo orgânico conforme é produzido, tirar o máximo de ar que der do saco(deixar só o lixo no saco mesmo, pra não ocupar espaço), dar um nó para deixar bem fechado, e aí sim jogar na lata de lixo orgânico. Com isso, o lixo fica isolado, não atrai insetos, e pode-se esperar até a lata ficar cheia para se jogar fora (preguiça agradece).

Ainda falando de lixo: hoje vi uma funcionária do Mac Donalds resolvendo o problema de fazer o saco de lixo ficar preso na lata com classe: se a boca do saco for muito maior que a boca da lata, basta dar um nó no saco por fora, no próprio plástico (sei que não ficou muito claro, mas tô com preguiça de desenhar).

Nenhum comentário:

Postar um comentário